Sonhos

Hoje tenho quase 40. Sou uma pessoa muito melhor do que fui no passado. E mais relizada, também. Tenho amigos, família… gente próxima que se importa comigo, não porque tem pena de mim ou porque isso é “correto”, mas apenas porque elas gostam de mim. Hoje vivo uma vida completa, cheia de realizações. E tenho uma pessoa fabulosa ao meu lado. Hoje eu não sou mais pego pelas compulsões. Diria que não faço nada por fuga… e não tenho mais medo de morrer sozinho. Aliás, hoje eu nem penso mais na morte. Hoje sei valorizar as pessoas certas, sei me importar mais comigo menos e menos com a opinião de pessoas – coisa que sempre me foi nociva. Aprendi a viver com pessoas que antes eu considerava superficiais e tolas, gente mediocre, e vejo que, na verdade, elas são gente simples… assim como eu sou hoje. Hoje eu assisto programas de auditório e realitys shows e vejo muita graça em tudo.  E bem… no fundo, sou uma pessoa realizada. Conformada… sonhos…

Hoje, na verdade, sou o mesmo de sempre. Um garoto com quase 30, que na maioria do tempo tenta se convencer de que ainda tenho alguma auto-estima, mas que quando chega na “balada”, percebe que o mais importante não é ter auto-estima, mas ser bonito. Um rapaz que vai pra balada e toma uns pilequinhos de vez em quando, mas sabe que nada disso vai resolver: é apenas fuga da realidade. Uma pessoa que sempre crê que “dias melhores virão” e que, na verdade, vê coisas melhores acontecendo, mas no fundo, continua infeliz. Um cara que adora mulheres, mas que as evita porque elas vão querer sexo… e isso, certamente, será trágico. Um cara que já pensou em sair do armário, mas sabe que o mundo gay é pior ainda que o mundo hétero e… fato: eles também vão querer sexo. Sou um cara com problemas pra me relacionar. Prefiro investir em quem está longe – isso por total inabilidade de lidar com as pessoas que estão por perto. Sim, eu sou uma pessoa amarga e triste, solitária – e isso foi tudo que eu sempre combati.

Voltei a tomar os remédios (sim, eu consegui um jeito de recebê-los aqui nesse fim de mundo) e percebi que minha inquietação não melhora – embora eu consiga ao menos controlar meu comportamento social.

“Talvez eu esteja destinado à grandes coisas”. E isso, eu tenho consciência, é a maior farsa bipolar de todos os tempos… “sou diferente, sou incompreendido, sou superior”. Meus discursos contra a mediocridade são apenas mais um modo de tentar aparecer. Esse blog, é, na verdade, apenas mais um alimento pro meu ego. Mas é como minhas amizades: eu só quero quando eu estou disposto… quando não, prefiro ficar de lado.

A solidão, por sua vez, não aceita as coisas assim… ela vem e pronto. E eu começo a achar que tudo é apenas uma auto-comiseração, mas depois percebo que nem eu me suporto. Minhas qualidades me precedem, mas meus defeitos me atormentam.

Hoje eu tenho um pouco mais de dinheiro no banco e as pessoas me vêem como se eu fosse um pouco melhor que antes… mas agora eu continuo só. E continuo atraindo problemas que depois não tenho disposição de resolver. Enjoei da internet. Enjoei de música. Enjoei de algumas séries. Enjoei de ir pra “balada”. Enjoei de viajar. Enjoei de mim mesmo.

Verborragia. Vômito?

Não. Tudo engano. Não leve em conta nada do que eu escrevi acima. Isso foi apenas um exercício mental. Uma forma de tentar permanecer em total sanidade. Existem verdades nas entrelinhas, claro. E em algumas linhas também. Mas o melhor é…

Ah. Deixa pra lá.

Mudando de assunto.

Sonhei que eu voava.

Mudando de assunto de novo.

Meu ponto fraco é, de fato, a solidão. Ela, apenas ela, fez com que eu sonhasse com todas as coisas acima mencionadas.  Um psicólogo diria que estou esquizonfrênico. Talvez. Mas tudo não passa de literatura. Falta do que fazer. Falta de sono. Meu ponto mais fraco que a solidão? Não sei. Talvez a sorte. Ou a falta dela.

Agora me esforço para não sonhar de novo. Porque numa época eles foram fuga da realidade. Noutra época eles foram força para seguir em frente. Mas hoje, eles são apenas expectativas distorcidas do futuro. Por isso tento retornar ao passado. Entender melhor sobre o que aconteceu quando eu era indefeso. Destruir a raiz de meus problemas comigo mesmo. Entender como eu deixei as pessoas me fazerem pensar que tudo era culpa minha.

E bem… pensando no passado, eu me esqueço dos sonhos.

E quem não sonha perdeu a capacidade de viver. É isso. Estou me boicotando de novo. Desejo de morte… mas dessa vez entendi. Não aspiro uma morte física… mas uma morte da esperança.

Amanhã sei que acordarei melhor. E a vida vai ser igual a semana passada. Trabalho,  casa, fingimentos sociais, conversas superficiais. E então eu voltarei a sonhar. E me frustrar. E aprender com as frustrações. E crescer. E achar que involui. E ver que quanto mais eu cresço, mas consciência eu tenho das minhas limitações e de que não sei nada. E achar que apesar das coisas terem melhorado eu ainda estou infeliz, porque não encontrei o sentido de tudo. E perceber que na verdade, o sentido é apenas experienciar tudo isso. E perceber que não estou só. E voltar a estaca zero. E depois a dez. E fingir que não sou mais bipolar. E entender que ainda sou, realmente. E achar sentido em tudo, outra vez. Me apaixonar. Me iludir. Quebrar a cara e aprender. E ser feliz com coisas pequenas. E com outras grandes. E esquecer a felicidade e ficar infeliz de novo. E comer demais. E fazer dieta. E desejar ir em frente. Ou voltar atrás. E bem… seguirei sonhando…

Sonhando…

Ou pensando que tudo isso é o sonho… e quando morrer, acordarei pra outra dimensão e terei a certeza de que… tudo não passou, realmente, de um sonho.

Anúncios

10 comments so far

  1. NF on

    Olá.
    Tenho 25 anos, sou médica e recebi meu diagnóstico a exatos 7 dias. O diagnóstico foi um choque, mas também uma esperança de finalmente ser uma pessoa equilibrada… Fiz inúmeros tratamentos para depressão e nunca fiquei bem. Quem sabe agora eu consiga ser e me sentir uma pessoa melhor…
    Busco semelhantes. Sempre me achei “um peixe fora da água”. Sempre sentia que eu interpretava tudo diferente, que sentia tudo de maneira mais intensa, que sofria muito mais que os outros, que me empolgava muito mais que os outros. Minha auto-estima sempre foi catastrófica. Lendo seu relato parecia ler algo que eu tinha escrito. Muitas semelhanças. Tive um término recente de namoro e minha auto-estima afundou de vez depois disso. Saio com expectativas de alguém simplesmente notar que eu existo e volto arrasada por não acontecer o que eu esperava. Sonho. Sonho muito. Nos meus sonhos as pessoas gostam de mim apesar das minhas compulsões alimentares frequentes, apesar do meu corpo que muda constantemente de peso,apesar das minhas oscilações frequentes de humor. Enfim, as pessoas gostam de mim como sou. É uma fuga. Sempre sonhei muito acordada, na expectativa de esquecer dos meus problemas reais. Mas a realidade é diferente e nela nem eu gosto de mim mesma. Muitas vezes me odeio. Já quis morrer. Morrer mesmo. Já quis ficar para sempra na cama. Já quis sumir. Ir para um lugar onde minha alma tivesse paz. Mas não fui. Não tive coragem nem para isso. E permaneci, como você disse, vivendo um dia depois do outro. Quebrando a cara, chorando, sofrendo, levantando aos poucos, superando, também mantendo um emprego do qual não gosto, mas do qual preciso por causa do dinheiro. Encontrei a terapia cognitivo compartamental e melhorei muito desde então. Minha terapeuta é meu porto seguro. Ela conhece minhas fraquezas e não me acha um ET por isso. Ainda tenho muitas coisas a melhorar, principalmente minha péssima auto-estima. Diria que nem tenho uma ultimamente. Também tenho muito medo da solidão. Às vezes me enxergo no futuro como uma velha solteirona de mal com a vida, cheia de cães na minha volta, mal cuidada, e que se revolta ao ver casais felizes. Na verdade tenho medo de nunca ser feliz de verdade. E esse medo me domina de tal forma que às vezes não quero viver pra sofrer isso… Mas como eu disse, não tenho coragem de impedir que a vida prossiga. E vou vivendo aos trancos e barrancos, invejando a felicidade dos outros, querendo um pouco disso para mim… Invejando quem se ama. Pedindo um pouco desse amor para mim…
    Também tenho sonho como as pessoas “normais”. Quero um marido, uma família digna de comercial de margarina. Mas não vejo meios de conquistar isso. Não da maneira como estou. Chorando nesse momento e rindo daqui a pouco. Explodindo de raiva com meu ex-namorado num minuto e no outro perguntando o que ele tem feito da vida. Sim, eu sou claramente bipolar. BIPOLAR ! BIPOLAR ! Vontade de gritar da janela do meu quarto, dizer ao mundo que EU SOU BIPOLAR !!! Não sou um ET. Não sou louca. Tenho esperança de melhorar com meu tratamento, que ainda não teve tempo de mudar a minha vida. Eu ainda sonho em ser feliz… Sonho com o equilíbrio. Sonho em ser as pessoas que invejo hoje. E um cantinho minúsculo dentro de mim diz que eu posso conseguir isso. E vou conseguir.
    Vamos conseguir.

    • Fui diagnosticada como bipolar há 03 anos, depois de muitas crises, crises mesmo,e ainda tomo medicamentos (carbolitium e efexor), também tinha muito medo da solidão e de me imaginar sozinha no mundo, os medicamentos me ajudaram e continuam me ajudando e muito, terapia também, fiz durante anos (10 anos mais ou menos), mas passei a ser menos exigente com a vida e com as pessoas encontrei alguém pra amar e dei mais valor aos amigos do que ao terapeuta, isso me faz bem, sei que tenho que controlar nos impulsos, mas hoje sou mais feliz, talvez conformada sim, porque o que que tem demais ser conformada? bjus e melhoras a todas. Se alguém quiser alguma dica sobre tratamentos clínicas e afins é só me dar um alô, passei por vários procedimentos. Ah acabei de ver um filme interessante a respeito e recomendo:Veronika decide morrer.

  2. Genaina on

    olha lendo tudo q escreves-te parecia q tava lendo eu mesmo.. espero q um dia eu chegue a esse equilibrio nao queira buscar mais fugas..
    bom to aki, porque voltei a me sentir muito só, a me sentir um nada.. a nao ser feliz.. e como doi perceber q nao sou feliz. e q to viva por tomar 5 tipos de remedios diferentes.. e juro que minha vontade é toma-los todos.. e olha nao sei se vai demorar mto pra isso…
    to mto confusa, sozinha. triste.. quem quizer conversar comigo: gpbge@hotmail.com

    • Olá, pq dói perceber que não é feliz, feliciidade virou exigência nesse nosso mundo. Afff ser feliz virou status, não pense assim, e se vc precisa dos medicamentos pra se sentir melhor, tome-os e os aceite pq não? Tudo na vida é uma fase…e vc vai voltar a sorrir como eu voltei tenho certeza. bjus fique com Deus.

  3. Raquel on

    Oi!!!! Que saudade de ler você, de falar com você! Minha vida está de cabeça pra baixo! Mas faz parte não é? Quando puder e quiser me dê um alô se é que ainda se lembra de mim!!! Beijos!!!

  4. Luiz Augusto Vallim on

    Olá amigão! Compartilho a sua dor e te compreendo completamente! Sou bipolar e também possuo as mesmas angústias!
    Converse comigo! Podemos nos ajudar, mas principalmente… podemos ser amigos! (e nem será dificil… quase tudo do que você gosta.. eu tb sou fãnzaço! hehehe)

    Um forte abraço!
    Espero que sua mania chegue logo.. e que você volte aqui.. e me adicione… e mudemos nossas vidas!

    vallim007@gmail.com (meu msn e email)

  5. Marly on

    Olá por favor vão passear no meu cantinho, tenho lá meus testemunhos de como lido com minha bipolaridade!!!
    Sou casada, tenho dois filhos, levo hoje uma vida normal, porque, depois de uma vida de depressão ou euforia exagerada, aceitei o diagnostico e o tratamento!
    http://www.paraabencoarsuavida.blogspot.com

    Bjussss
    Marly

  6. Marly on

    Somos chamados de depressivos mas não somos, ela que é !
    Somos chamados de inconstantes, mas não somos, ela que é !
    Somos chamados de loucamente alegres,ou ate doidos,mas não somos, ela que é !
    Somos chamados de suicidas, mas não somos, ela que é !
    Somos chamados de hiperativos,mas não somos, ela que é !
    Somos chamados de ansiosos,mas não somos, ela que é !
    Sabe quem é ela? Ela é a “Madame transtorno bipolar”
    Que não é o que somos, é apenas uma caracteristica que carregamos!
    Mas não a nossa essência, não tudo que somos!

    Gente dá um desconto ai…não sou poeta hem heheheheh

    Quero te dizer, mesmo que você se sinta rejeitado(a) por muitos
    Mesmo que você não se sinta compreendido e amado
    Nunca, jamais se esqueça : Deus jamais te rejeitará
    E mais, Ele te aceita e te ama exatamente assim como você é!!
    http://www.paraabencoarsuavida.blogspot.com
    Bjus
    Marly.

  7. Ana Paula on

    Olá! Meu nome é Ana Paula e esta é a primeira vez que visito este blog. Fiquei impressionada com seu texto e, claro, com a completa identificação que tive ao lê-lo. Como é bom saber que não sou a única com angustias e dificuldades de convivência e relacionamento com outras pessoas. É a vida não é fácil! Fui diagnosticada inicialmente como apresentando ciclotimia, mas no início deste ano houve um agravamento de minhas crises de hipomania e depressão e fui promovida… agora me classificam como apresentando bipolaridade do tipo II. E a vida continua…
    Caso queira conversar e fazer uma nova amizade é só me mandar uma mensagem (anapaula.light@gmail.com). Um abraço. Ana

  8. Silvia on

    Vocês não têm medo de ficar louca ou louco, tipo esquizofrenia, psicose, sei lá? Essa noite sonhei q estava entrando num hospital psiquiátrico e coloquei aquela “farda”de loucos, depois entrei numa sala com um bando de louquinhos todos fazendo dãrrd! e é claro q eu estava ali por engano porque ali não era o meu lugar.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: