Archive for setembro \21\UTC 2009|Monthly archive page

Quantum

Hoje em dia tudo é quântico. Eu mesmo adoro a mecânica quântica e todo desdobramento “espiritual” desse tipo de teoria. Quantum… no plural, quanta. Digo espiritual entre aspas, pois muito do que hoje é considerado espiritual amanhã será revelado como ciência…

Mas e meu choro escondido? Que relação ele tem com a quântica? Quanto choro eu conseguirei esconder ainda…

Essa coisa de ter que morar junto com um estranho é complicado… Faz parte da minha nova vida semi-militar. Dividir alojamento com uma pessoa que teve a educação totalmente diferente da sua. Sei que meu colega também tem seus problemas, fica deprimido e talz… mas quanto tempo eu conseguirei disfarçar minha doença? Esconder os remédios, disfarçar o sono excessivo… abafar o choro contindo pelo barulho do chuveiro.

Morar sob o mesmo teto é quase um casamento. Ter que conciliar vontades, ter que administrar a geladeira e ter que guardar toda a tralha emocional debaixo do colchão…

E foda… vou pro Panamá no final do ano, e vou sozinho… Talvez seja mais uma fuga. Uma deprimente e cara forma de evitar o passado, negar o presente e pensar em uma histórinha de contos de fadas até chegar o dia deprimente da viagem sozinho…

Bem… e o que me alimenta é saber que ainda tem gente que me lê, me compreende, me faz carinho pelas palavras e não me abandona, mesmo estando longe…

E o que tudo isso tem haver com a quântia mesmo? Bem… sei que no futuro eu compreenderei melhor a quântica, e provavelmente também comprenderei melhor o dia de hoje, o desespero, o choro reprimido a vontade de gritar e ligar o foda-se, a solidão, a vida…

Beijos pra quem lê.

Lições…

Hoje eu finalmente resolvi sair da casca… claro, internet aqui é tão complicada que dá preguiça. Mas sei que precisava escrever… não só porque alguns leitores ficaram preocupados (e teve gente que até imaginou que eu tivesse suicidado), mas porque eu definitivamente preciso escrever.

Que esse blog é um eterno desabafo, nenhuma novidade. E bem… tem gente que se identifica e tem gente que acha que sou negativo demais… é questão de prisma. Sobretudo do prisma que eu decido mostrar. Enfim…

As lições que tenho aprendido, sobretudo com gente muito experiente, tem me mostrado que boa parte das construções de vida que eu levantei, na verdade são relativas. Eistein deve estar olhando pra mim agora e pensando que isso não é nenhuma novidade.

O fato é que o ditado de “quando sabemos todas as respostas, o universo muda todas as perguntas” é tão real quanto se pode literalizar. Quando acho que tenho certezas, chega um pequeno fato novo e muda tudo.

Bem… vamos aos exemplos práticos (que ficar aqui filosofando é lindo, mas pouca gente vai gostar disso por muito tempo). Ok.

Quando achei que meu desejo era ficar aqui, neste fim de mundo, economizando dinheiro e estudando pra um concurso, não apenas por falta de opção, como também porque a única opção alternativa era pior e distante… o mundo muda e eu percebo que tenho três boas oportunidades. Todas com prós e contras. Todas muito tentadoras. E todas bastante arriscadas, claro.

Quando eu decido que ficar só é a melhor coisa a se fazer… vem o universo e trás alguém que gosta de mim. Mas em compensação, a própria distância faz com que a opção seja complicada de decidir, sobretudo, porque ficar só parece mais simples e mais seguro (e não apenas pra mim, mas pra ela também).

Quando eu acho que tenho dinheiro… bem uma porra de dívida judicial e bloqueia meu saldo disponível… e olha que eu havia feito um “acordo” (daqueles de cavalheiros, de fio de bigode) e a pessoa simplesmente não cumpriu (ela me acionou judicialmente, quando eu já havia concordado em pagar até mais, só que de forma parcelada…

Enton… o pior é ter que tomar decisões de modo rápido.

E sobretudo quando a voz da experiência me provou por A mais B que muitas vezes “ficar sem fazer nada” é uma posição, e pode até ser o melhor caminho pra resolver problemas, ao menos provisoriamente… As vezes os envolvidos aprendem por si só. As vezes eles resolvem se abrir pra o novo… e o “não fazer nada” acaba sendo melhor do que fazer qualquer coisa e encontrar indisposição das pessoas.

Mudando de assunto… alguns blogs estão sendo lidos. Outros também… mesmo com a dificuldade da internet…

Comprei uma moto e agora vou entrar na auto escola. Medo de cair é enorme… e maior é o de ser pego enquanto não tiro a carteira. Mas enquanto isso, vou arriscar…

Comi pudim até dizer chega. E me entupi de chocolates. Acho que é hora de aumentar a dose dos remédios.

Estou de saco cheio de trabalhar… mas estou há nove sábados na correria, pra poder tentar bater uma meta (e ganhar cinco dias de folga, se conseguir). Será se vale a pena?

Pretendo passar o natal no exterior… Vai ficar barato. Mas vou sozinho… antes só do que mal acompanhado??? Ou antes no luxo e sozinho ??? Dúvida…

Agora tenho que ir. É tarde.

Abraços e beijos aos leitores…